domingo, 4 de outubro de 2009

TV permite ver vídeo em alta definição

 LIGADO >> Aparelho conta com entradas de áudio e vídeo; qualidade da apresentação de fotos a partir do USB deixa a desejar

MARIA DA GRAÇA PIMENTEL
ESPECIAL PARA A FOLHA

Chega ao mercado brasileiro a TV LG Scarlet Full HD de 47 polegadas, que permite assistir a vídeo digital de alta definição, como o capturado pelas mais modernas câmeras, explorar ao máximo a qualidade gráfica oferecida pelo novos consoles de jogos eletrônicos, como o PlayStation 3, além de reproduzir músicas diretamente dos tocadores de MP3.
O aparelho permite também que o telespectador assista à TV digital via operadora a cabo, satélite ou, nos locais onde já está disponível, sinal de TV digital aberta por antena. Em todos os casos, é necessário conectar a televisão a um conversor (set-top box) para ter acesso ao sinal digital.
Uma observação importante é que o sinal digital transmitido atualmente pelas emissoras de TV tem qualidade HD de 1.280x720 pixels, bem menor que o Full HD suportado pelo aparelho testado.
Outra fonte de vídeo em alta definição são os filmes em discos Blu-ray, o novo formato de mídia de alta qualidade, sucessor do DVD, que deve ser disponibilizado cada vez mais em locadoras de vídeo. Além dos discos, é preciso contar com um tocador de Blu-ray.



Ajuste automático
A TV possui mecanismo para ajuste automático da imagem de acordo com a iluminação do ambiente e base giratória removível. O áudio, com qualidade de cinema (Dolby Digital Decoder Surround System), é reproduzido em alto-falantes invisíveis.
O produto tem, sem a base, aproximadamente 115 cm de largura, 80 cm de altura e 8 cm de profundidade. Considerando sua tela de 47 polegadas na diagonal, a TV fica muito bem em uma sala na qual o espectador possa ficar a, pelos menos, 3,5 metros de distância do aparelho.
O investimento em uma TV desse porte exige acesso a mídia de qualidade, uma sala ampla e, ainda, um sofá confortável. Ou seja, é interessante que, ao comprar uma TV desse porte, o usuário tenha acesso a um tocador de Blu-ray, à TV digital, ou possua uma câmera com capacidade de alta definição ou um computador que possa ser conectado ao aparelho.

Resolução da imagem
O Full HD significa que a TV suporta resolução de até 1.920x1.080 pixels -proporção widescreen (tela larga) de 16:9.
Para se ter uma idéia, é normal que um notebook comum -disponível nas prateleiras atualmente- apresente resolução de até 1.280x800 pixels. A televisão permite visualizar, em sua totalidade, uma foto capturada em resolução de 2 Mpixels. Esse é um detalhe importante já que, entre as opções de entrada, a TV possui uma porta USB, que permite apresentar fotos diretamente de uma câmera digital.

Fotos
A qualidade da apresentação de fotos a partir do USB deixou a desejar. O processamento realizado pela TV para redimensionar a foto de modo que ela seja apresentada em tela cheia causa grandes distorções: a foto fica muito pior do que quando apresentada em um computador. Isso ocorreu tanto para fotos maiores quanto para as menores que a resolução da TV.

Três cenários de teste
Conectamos um laptop por meio de um cabo RGB na saída VGA do computador e conseguimos resolução máxima de 1.920x1.080. Ou seja, a TV pode ser utilizada como monitor do seu computador em alta resolução.
Ligamos, duas vezes, uma câmera com capacidade Full HD no televisor. A primeira, por meio de um cabo HDMI. A segunda, utilizando um cabo RCA vídeo componente (com conectores YPbPr).
A olho nu, não notamos diferenças entre as qualidades dos dois vídeos. Ambos apresentavam alta qualidade de imagem. Vale notar que o cabo RCA utilizado, embora analógico, é capaz de transmitir os sinais em resolução maior que o cabo RCA que possui um único conector, comum em câmeras de vídeo e tocadores de DVDs.

Blu-ray
Alguns dos vídeos que estavam em discos Blu-ray, que acompanharam a TV para os testes, não apresentaram a imagem tão perfeita como a da câmera.
Esse caso serve para lembrar que, para aproveitar o potencial máximo da televisão, os vídeos também têm que estar na resolução Full HD. O fato de o vídeo estar em um disco Blu-ray não implica que ele esteja em resolução Full HD.

Opções de conexão
Entre as várias opções de conexão, há entradas videocomponente, duas entradas de áudio e vídeo comuns (uma delas lateral), uma entrada S-Video e três entradas HDMI (uma delas lateral).
É útil a entrada USB na lateral. Seria interessante que a TV tivesse, também, um leitor de cartões de memória.
As conexões laterais são de difícil acesso, mesmo sem a TV estar fixada na parede.


MARIA DA GRAÇA PIMENTEL é doutora pela Universidade de Kent, na Inglaterra, e docente do Departamento de Ciências de Computação da USP
Reações:

0 comentários: