domingo, 4 de outubro de 2009

Feira em Berlim mostra TVs de altíssima resolução e portáteis de grande desempenho

minimáximo
GUSTAVO VILLAS BOAS
ENVIADO ESPECIAL A BERLIM

Na feira alemã de eletrônicos de consumo IFA (Internationale Funkausstellung), um estande de um museu alemão mostra exemplares de rádios e televisões do passado. Nos outros milhares de metros quadrados, o futuro se faz presente e quer ser grandioso -e atento aos detalhes.
As estrelas da feira, que acaba hoje em Berlim, são as TVs. De todos os tipos e tamanhos.
E não basta serem bonitas por fora -com design futurista ou estilo aristocrático. A gota de suor que escapa do atleta, o vento que mexe suavemente a grama, as cores e a textura de um tapete persa. É preciso imagens inusitadas para chamar a atenção do público.
Mas as nuances têm um preço que vai além do monetário para o consumidor: é preciso decifrar siglas, números e especificações técnicas.
Uma das siglas é a Oled, com telas montadas com diodos orgânicos emissores de luz: as cores vivas, o preto profundo, a espessura de um quadro fazem dos aparelhos um sonho de consumo.
Só em 2010, os modelos de tamanho razoável (de mais de 21 polegadas) devem chegar ao mercado. E, enquanto isso, na IFA, telas de cristal líqüido e de plasma gigantescas aparecem.
Havia até aparelho mostrando imagens tridimensionais -e sem que o usuário precisasse de qualquer tipo de óculos.
Outro exagero: alta resolução de quatro vezes o padrão atual. Azar (ou sorte) dos consumidores comuns que esses dois últimos modelos são voltados para empresas e indústrias, como a de publicidade.

Presente
A tecnologia Oled fica para daqui a alguns anos. Atualmente, a realidade é a consolidação do sucessor do DVD, o Blu-ray. É a ascensão da transmissão em alta definição sem fio. A onipresença dos porta-retratos digitais.
Tudo, novamente, em vários tamanhos, do mais exuberante ao mais contido, como os subnotebooks ou netbooks. Os portáteis levíssimos, cada vez mais poderosos, deram as caras nos estandes de Berlim para mostrar que o mínimo também pode ser o máximo.
Isso e muito mais você conhece nesta edição.
Reações:

0 comentários: