domingo, 4 de outubro de 2009

Atualização de mapas demora seis meses e pode ser paga DA REPORTAGEM LOCAL
COLABORAÇÃO PARA AFOLHA

Para que os aparelhos tracem rotas de forma eficiente e mostrem os serviços em seus mapas, é preciso manter-se atualizado com mudanças de mão e de nomes. Para isso, os fabricantes oferecem as novas versões ou em seus sites ou por meio de CDs.
A atualização dos softwares dos navegadores ocorre, aproximadamente, a cada seis meses. Em comparação, o Maplink da internet é atualizado a cada 15 dias, porque há colaboração dos internautas. "Nós temos mais de 1,6 milhão de usuários únicos por mês, que avisam sobre as mudanças de conversão de rua, de mudança de mão", diz Frederico Hohagen, diretor comercial da empresa.
Alguns fabricantes, como a Airis, a Mobimax e a Garmin, oferecem-na gratuitamente; outros preferem não garantir a gratuidade das novas versões. "Vai depender do custo que teremos com as empresas de mapas e de softwares", diz a assessoria de imprensa da Elgin, que oferece o T-Levo. Há os que são pagos, como o Quatro Rodas, que ainda não definiu o preço da segunda atualização -a primeira foi gratuita.
As novas versões incluem desde informações sobre condições meteorológicas, passando por mapas de diversos lugares do mundo, até um maior número de pontos de interesse.
O ONE XL, da TomTom, é o que oferece os recursos mais curiosos em seu site -como rotas que privilegiam a beleza do visual-, mas a maior parte deles está disponível apenas para cidades européias. (CR E FL)
Reações:

0 comentários: