This is default featured slide 1 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 2 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 3 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 4 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 5 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

quarta-feira, 20 de maio de 2020

AMD Ryzen-Powered Raspberry Pi Rival Uses Radeon Vega Graphics

(Image credit: Axiomtek)
Axiomtek announced a new embedded single-board computer (SBC) this month known as the CAPA13R. With its compact form factor, the board is fit to compete against the Raspberry Pi and does so with a key secret weapon: an AMD Ryzen APU.
With an embedded AMD Ryzen V1807B or Ryzen V1605B APU, the CAPA13R offers integrated graphics, making it ideal for more graphically intense applications, like 3D rendering and video recording. With the Ryzen V1807B, makers are getting access to AMD's Radeon Vega 11 graphics, while the Ryzen V1605B comes with the lesser Radeon Vega 8 graphics.
The Ryzen APUs also give the CAPA13R support for up to 16GB of RAM using one DDR4 SO-DIMM.
The CAPA13R SBC measures 3.5 inches across, which is comparable to the form factor of the Raspberry Pi. It has Ethernet support by default, but you can upgrade the device to support wireless connectivity with the right adapter.
(Image credit: Axiomtek)
The CAPA13R has two  M.2 slots: one M.2 Key E and one M.2 Key B. You can use the E slot for a wireless module, while the B slot is reserved for storage cards.
The CAPA13R has a few options when it comes to display output as well, with two HDMI ports, one DisplayPort and one LVDS interface. The unit requires a 12V power supply. For more spec information, check out this data sheet [PDF] from Axiomtek.
You can order the CAPA13R from the Axiomtek website now for an undisclosed price.

Windows - As principais novidades para Windows 10 apresentadas na conferência Build 2020, da Microsoft


Computador com Windows 10. Crédito: Alex Cranz/Gizmodo
Crédito: Alex Cranz/Gizmodo
Durante a conferência Build, a Microsoft apresentou novos recursos que o Windows 10 deve ganhar em breve. De antemão, boa parte delas tem relação com desenvolvedores, mas selecionamos aqui recursos que vão ajudar a vida do usuário comum, como uma nova funcionalidade para facilitar a busca e execução de programas ou arquivos.
Abaixo, algumas das novidades que o Windows 10 apresentadas na Build 2020:

Novas funcionalidades PowerToys

Microsoft PowerToys é um conjunto de utilitários para facilitar a experiência ao utilizar o Windows e, assim, melhorar a produtividade. Nesta Build, a empresa anunciou duas novas ferramentas.
Uma delas chamada Power Run e funcionará como o Spotlight, do Mac. Então, o usuário conseguirá facilmente acessar programas com uma barra que aparecerá no meio da tela. Para acionar, basta dar Alt+Espaço.
Power Run
O outro recurso é o Keyword Remapper, que permitirá remapear e definir teclas de atalho personalizadas
Se você não quiser esperar, pode baixar um pacote de atualização diretamente no GitHub da Microsoft.

Barra lateral de busca Microsoft Edge e integração com o Pinterest

O navegador da Microsoft ficou bem mais esperto após começar a usar o motor Chromium, e nesta Build, a gigante de software mostrou mais novidades para ele. Para começar, o Pinterest será integrado com o navegador. Assim, vai ficar mais fácil “pinar imagens” e receber sugestões de conteúdo.
Um novo recurso interessante é uma barra lateral que mostra resultados de busca. Imagine que você está lendo um documento e gostaria de saber o significado de algo. Basta selecionar a palavra, clicar com o botão direito em cima e escolher pesquisar na barra lateral. Abrirá uma divisória na lateral direita com os principais resultados de busca.

Winget, uma nova forma de instalar programas

Instalar uma série de programas pode ser um saco, e a Microsoft vai tentar facilitar isso com o Winget. Basicamente, ele possibilita a instalação de softwares por meio de um comando.
Será possível, por exemplo, digitar “winget install steam” ou “winget install whatsapp” e serão instaladas as últimas versões do programa que você quiser. Em tese, será possível fazer isso tanto com programas que estão na Windows Store como outros que estão fora da loja da Microsoft, como a Steam. Segundo o Verge, os apps estão sendo disponibilizados aos poucos para serem instalados dessa forma.
No fim das contas, não é o mais fácil usar este download via Winget, pois pode ser complicado para quem não é habituado a instalar por meio de comandos de texto. Porém, a iniciativa parece ser um primeiro passo para facilitar o download atualizado de softwares, já que a Windows Store não é tão usada assim.

Fluid Framework

O pacote de ferramentas online do Google costuma ser referência, pois foi um dos primeiros a facilitar o trabalho com documentos, apresentações e planilhas de forma compartilhada com outras pessoas. Agora, a Microsoft está tentando se destacar com o que eles chamam de Fluid Framework, que foi apresentado durante a Build.
De modo geral, é uma iniciativa que modulariza o funcionamento de itens. Imagine que você está trabalhando em uma tabela do Excel de forma compartilhada, e ela está em um documento do Word. As atualizações feitas no programa de planilhas aparecerão de forma sincronizada do editor de textos.
Microsoft Fluid Frameworks
Num primeiro momento, isso deve rolar com itens do pacote Office 365, mas a Microsoft tem planos de tornar o código aberto para que outros desenvolvedores criem esse tipo de “modularidade”.

Interface gráfica de apps Linux no Windows

Como temos acompanhado, já faz um tempo que a Microsoft está em um caso de amor com o Linux e soluções de código aberto. Durante a Build, a empresa disse que facilitará a execução de interface gráfica de apps Linux no Windows.
Basicamente, a Microsoft incluirá suporte à interface gráfica de usuário do Linux no WSL (Windows Subsystem Linux) para facilitar que desenvolvedores consigam rodar apps do Linux ao lado de apps do Windows sem dar grandes problemas. Antes, era necessário fazer uma requisição X11 forwarding, que é um mecanismo que permitia inicializar aplicações remotas e exibir em sua tela da sua máquina local Windows.
Se você usa só o arroz e feijão do Windows, isso não é lá muito importante, mas se você mexe com sistemas de treino de machine learning, computação paralela e modelos de inteligência artificial, é um prato cheio.
Aliás, se você é desenvolvedor, é melhor dar uma olhada nos anúncios no blog da Microsoft sobre a Build.
[Verge 1, 2 e 3 e Microsoft]


fonte: https://gizmodo.uol.com.br/microsoft-build-2020-windows-10/

terça-feira, 19 de maio de 2020

Supercomputadores - Supercomputador da Microsoft tem 285 mil núcleos e 10 mil GPUs


Imagem de: Supercomputador da Microsoft tem 285 mil núcleos e 10 mil GPUs
Imagem: https://pixabay.com/pt/illustrations/cabe%C3%A7alho-banner-cabe%C3%A7a-915122/

Nesta terça-feira (19), durante a Build 2020, que está sendo realizada virtualmente, devido à pandemia do novo coronavírus, a Microsoft revelou a criação de um dos cinco supercomputadores mais poderosos do mundo, de acordo com a lista Top 500, que é atualizada duas vezes ao ano.

Uma supermáquina virtual

O supercomputador da Microsoft conta com 285 mil núcleos de processamento, 10 mil GPUs e um link de conexão com capacidade de 400 gigabits para cada servidor de GPU. A maior diferença entre a máquina da empresa e outros supercomputadores, é esta que se trata de uma máquina virtual, integrada à sua plataforma de computação em nuvem, a Azure.

Parceria da Microsoft com a OpenAI

A Microsoft anunciou que o supercomputador deverá servir exclusivamente à OpenAI, uma organização sem fins lucrativos criada para promover um uso seguro e ético de inteligência artificial. Sendo assim, o poder computacional da máquina será empregado em projetos para o desenvolvimento e amadurecimento da tecnologia de inteligência artificial.
Esse projeto, aliás, é uma expansão da parceria iniciada entre as duas organizações, no ano passado.
Fonte: Pixabay/ReproduçãoFonte: Pixabay/ReproduçãoFonte:  Pixabay 

Aplicações inimagináveis

A parceria entre a Microsoft e a OpenAI, aliada a um computador com esse porte, visa mudar a forma como sistemas de aprendizado de máquina operam. Atualmente, vários desses sistemas trabalham de maneira pouco eficiente: a base de dados usada para o treinamento é aproveitada de forma restrita.
A ideia é que, no futuro, o sistema de treinamento do algoritmo possa acessar e ler bilhões de textos disponíveis publicamente na internet. Isso poderia permitir que um sistema pudesse aprender algo novo, baseado em uma necessidade específica e sob demanda. Após analisar bases de código em repositórios como o GitHub, os sistemas poderiam até mesmo começar a programar.
Não se surpreenda se, daqui a alguns anos, a Microsoft lançar uma versão do Windows em que a Cortana se comporte como o sistema operacional do filme “Her”.



---------------------



Microsoft revela um dos supercomputadores mais poderosos do planeta

Renato Santino 19/05/2020 12h00
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Máquina virtual funciona na plataforma de nuvem da empresa, a Azure, e será usada para alavancar a tecnologia de inteligência artificial

A Microsoft decidiu entrar de vez no mundo dos supercomputadores. A empresa aproveitou a Build 2020, realizada virtualmente neste ano em decorrência da pandemia do coronavírus, para anunciar a criação de uma das cinco máquinas mais poderosas do planeta, de acordo com o ranking da Top 500, atualizado duas vezes por ano com os supercomputadores mais potentes.

O projeto é uma evolução de uma parceria anunciada em 2019 com a OpenAI, organização sem fins lucrativos criada com o objetivo de promover um uso seguro e ético de inteligência artificial. O computador foi desenvolvido para alavancar projetos de IA e será usado exclusivamente pela empresa, segundo a Microsoft.
O supercomputador da OpenAI é diferente dos outros que compõem o Top 500, porque ele não é uma máquina física. Ele reside na plataforma de nuvem da Microsoft, a Azure. O sistema conta com mais de 285 mil núcleos de processadores com mais 10 mil unidades de processamento gráfico, com 400 gigabits por segundo para cada servidor de GPU. A Microsoft não crava um número de petaflops para detalhar a capacidade do sistema, mas considerando que o quinto supercomputador mais poderoso do planeta é o Frontera, na Universidade do Texas, nos EUA, capaz de 23,516 petaflops, é seguro estimar que a empresa espere alcançar potências superiores a isso. Isso significaria mais de 23 quadrilhões de cálculos por segundo.
O supercomputador “dos sonhos”, como define a OpenAI, como você já deve esperar, será dedicado a projetos de inteligência artificial. Na visão da Microsoft, a tecnologia abre portas para ideias inovadoras, habilitando centenas de avanços em áreas como processamento de linguagem natural (reconhecimento e compreensão de fala e texto, por exemplo) ou visão computacional, tornando as máquinas mais capazes de interpretar imagens e reconhecer o ambiente ao seu redor. “Quando você começa a ver a combinação desses domínios perceptivos, você tem novas aplicações que até são difíceis de imaginar neste momento”, diz Kevin Scott, diretor de tecnologia na companhia.
O supercomputador é o primeiro passo em um plano mais amplo, que habilitar modelos de inteligência artificiais mais amplos e capazes, que devem ser disponibilizados também para outras organizações no futuro.
O projeto visa mudar a forma como sistemas de aprendizado de máquina operam. Até hoje, como explica a Microsoft, a maior parte dos sistemas do tipo são feitos de uma forma pouco eficiente: vários exemplos são etiquetados (muitas vezes manualmente) de uma forma que a máquina consiga entendê-los, e essa base de dados é usada de forma restrita para realizar uma tarefa específica. Isso pode ser, por exemplo, a tradução de uma frase de um idioma para outro, interpretação de pontos importantes em um texto, reconhecimento de voz ou identificação de um objeto pela câmera de um celular.
No entanto, alguns pesquisadores de inteligência artificial defendem que algumas tarefas podem ser realizadas de uma forma mais eficiente com um sistema gigantesco de IA para várias funções. Um dos exemplos mencionados pela Microsoft prevê o treinamento do algoritmo permitindo que a máquina acesse e leia bilhões de textos disponíveis publicamente na web. A partir daí, a inteligência artificial seria capaz de realizar várias funções ligadas à linguagem, e não apenas uma: corrigir gramática, resumir textos, moderar conteúdo ofensivo em chats, vasculhar documentos legais para encontrar trechos relevantes para um processo e até mesmo programar, depois de analisar bases de código em repositórios como o GitHub.
Essas aplicações, no entanto, dependem de ampla infraestrutura computacional, o que explicam o investimento da Microsoft na criação do supercomputador. A empresa já tem desenvolvido modelos de IA que seguem essa proposta, chamados de Microsoft Turing, utilizados na análise de linguagem. Eles são aplicados nos produtos da companhia, como o Office, e também já foram disponibilizados para pesquisadores para geração de linguagem natural.


fontes:
https://www.tecmundo.com.br/software/153298-supercomputador-microsoft-tem-285-mil-nucleos-10-mil-gpus.htm
https://olhardigital.com.br/noticia/microsoft-revela-um-dos-supercomputadores-mais-poderosos-do-planeta/100701


Nota:
Pelo pouco que li, não pode ser considerado um supercomputador no sentido literal da palavra, então não deveria nem ser listado no TOP500.
 Senão deveriamos considerar que o mecanismo de pesquisa do Google tambem seria um supercomputador, ou mesmo a internet como um todo, ou parte dele, como a Dark Web e incluem-se os bots usados para fins pouco licitos...

Windows - Windows 10 vai rodar programas de Linux com interface gráfica


Microsoft também vai adicionar suporte a aceleração de hardware por GPU em programas do Linux no Windows 10


O Windows 10 já era capaz de rodar o Linux e programas em linha de comando há alguns anos: na conferência Build 2020, a Microsoft prometeu adicionar suporte nativo a aplicativos com interface gráfica de usuário (GUI). Além disso, o WSL (Windows Subsystem for Linux) terá suporte a aceleração de hardware por GPU.
Windows e Linux
Este é o cronograma: o WSL 2 será lançado em breve junto ao May 2020 Update do Windows 10, e será mais rápido que sua versão anterior por ter um kernel Linux de verdade. (O WSL 1 possui kernel próprio da Microsoft que traduz APIs do Linux.)
No segundo semestre, o WSL 2 permitirá que programas do Linux usem aceleração de hardware por GPU, algo útil para computação paralela e para treinamento de modelos de inteligência artificial e machine learning (aprendizado de máquina). Isso vai aparecer primeiro no modo Rápido (Fast Ring) do programa Windows Insider.

Windows 10 expande suporte a programas do Linux

E, em algum momento do futuro, o WSL terá suporte a programas do Linux com interface gráfica. Como explica o The Verge, é possível rodar aplicativos com GUI no Windows usando um servidor X de terceiros, mas com desempenho reduzido.
"Teremos mais a compartilhar sobre a previsão de suporte a aplicativos do Linux com GUI ainda este ano", disse um porta-voz da Microsoft ao VentureBeat.
Também será mais fácil instalar o WSL, bastando usar o comando "wsl.exe -install" em vez de recorrer à Microsoft Store. Isso será testado inicialmente no programa Windows Insider "nos próximos meses".
Essas melhorias são uma forma de atrair desenvolvedores que queiram usar o Windows 10 como ferramenta de trabalho. O sistema permite instalar distribuições do Linux, como Ubuntu, SUSE Linux e Fedora; e até integrou acesso aos arquivos do Linux ao Windows Explorer.
A Microsoft também liberou o Windows Terminal na versão 1.0, ou seja, estável para uso corporativo. Ele reúne ferramentas de linha de comando como PowerShell, Prompt de Comando e WSL; e possui interface personalizável com abas, painéis, janelas destacáveis e atalhos de teclado. Você pode fazer o download na Microsoft Store ou no GitHub.

fonte: https://tecnoblog.net/339906/windows-10-vai-rodar-programas-de-linux-com-interface-grafica/