quarta-feira, 20 de maio de 2020

Windows - As principais novidades para Windows 10 apresentadas na conferência Build 2020, da Microsoft


Computador com Windows 10. Crédito: Alex Cranz/Gizmodo
Crédito: Alex Cranz/Gizmodo
Durante a conferência Build, a Microsoft apresentou novos recursos que o Windows 10 deve ganhar em breve. De antemão, boa parte delas tem relação com desenvolvedores, mas selecionamos aqui recursos que vão ajudar a vida do usuário comum, como uma nova funcionalidade para facilitar a busca e execução de programas ou arquivos.
Abaixo, algumas das novidades que o Windows 10 apresentadas na Build 2020:

Novas funcionalidades PowerToys

Microsoft PowerToys é um conjunto de utilitários para facilitar a experiência ao utilizar o Windows e, assim, melhorar a produtividade. Nesta Build, a empresa anunciou duas novas ferramentas.
Uma delas chamada Power Run e funcionará como o Spotlight, do Mac. Então, o usuário conseguirá facilmente acessar programas com uma barra que aparecerá no meio da tela. Para acionar, basta dar Alt+Espaço.
Power Run
O outro recurso é o Keyword Remapper, que permitirá remapear e definir teclas de atalho personalizadas
Se você não quiser esperar, pode baixar um pacote de atualização diretamente no GitHub da Microsoft.

Barra lateral de busca Microsoft Edge e integração com o Pinterest

O navegador da Microsoft ficou bem mais esperto após começar a usar o motor Chromium, e nesta Build, a gigante de software mostrou mais novidades para ele. Para começar, o Pinterest será integrado com o navegador. Assim, vai ficar mais fácil “pinar imagens” e receber sugestões de conteúdo.
Um novo recurso interessante é uma barra lateral que mostra resultados de busca. Imagine que você está lendo um documento e gostaria de saber o significado de algo. Basta selecionar a palavra, clicar com o botão direito em cima e escolher pesquisar na barra lateral. Abrirá uma divisória na lateral direita com os principais resultados de busca.

Winget, uma nova forma de instalar programas

Instalar uma série de programas pode ser um saco, e a Microsoft vai tentar facilitar isso com o Winget. Basicamente, ele possibilita a instalação de softwares por meio de um comando.
Será possível, por exemplo, digitar “winget install steam” ou “winget install whatsapp” e serão instaladas as últimas versões do programa que você quiser. Em tese, será possível fazer isso tanto com programas que estão na Windows Store como outros que estão fora da loja da Microsoft, como a Steam. Segundo o Verge, os apps estão sendo disponibilizados aos poucos para serem instalados dessa forma.
No fim das contas, não é o mais fácil usar este download via Winget, pois pode ser complicado para quem não é habituado a instalar por meio de comandos de texto. Porém, a iniciativa parece ser um primeiro passo para facilitar o download atualizado de softwares, já que a Windows Store não é tão usada assim.

Fluid Framework

O pacote de ferramentas online do Google costuma ser referência, pois foi um dos primeiros a facilitar o trabalho com documentos, apresentações e planilhas de forma compartilhada com outras pessoas. Agora, a Microsoft está tentando se destacar com o que eles chamam de Fluid Framework, que foi apresentado durante a Build.
De modo geral, é uma iniciativa que modulariza o funcionamento de itens. Imagine que você está trabalhando em uma tabela do Excel de forma compartilhada, e ela está em um documento do Word. As atualizações feitas no programa de planilhas aparecerão de forma sincronizada do editor de textos.
Microsoft Fluid Frameworks
Num primeiro momento, isso deve rolar com itens do pacote Office 365, mas a Microsoft tem planos de tornar o código aberto para que outros desenvolvedores criem esse tipo de “modularidade”.

Interface gráfica de apps Linux no Windows

Como temos acompanhado, já faz um tempo que a Microsoft está em um caso de amor com o Linux e soluções de código aberto. Durante a Build, a empresa disse que facilitará a execução de interface gráfica de apps Linux no Windows.
Basicamente, a Microsoft incluirá suporte à interface gráfica de usuário do Linux no WSL (Windows Subsystem Linux) para facilitar que desenvolvedores consigam rodar apps do Linux ao lado de apps do Windows sem dar grandes problemas. Antes, era necessário fazer uma requisição X11 forwarding, que é um mecanismo que permitia inicializar aplicações remotas e exibir em sua tela da sua máquina local Windows.
Se você usa só o arroz e feijão do Windows, isso não é lá muito importante, mas se você mexe com sistemas de treino de machine learning, computação paralela e modelos de inteligência artificial, é um prato cheio.
Aliás, se você é desenvolvedor, é melhor dar uma olhada nos anúncios no blog da Microsoft sobre a Build.
[Verge 1, 2 e 3 e Microsoft]


fonte: https://gizmodo.uol.com.br/microsoft-build-2020-windows-10/
Reações:

0 comentários: