sábado, 23 de janeiro de 2010

pra ler mais tarde

BLOG - Jomar Silva


20/01/2010




Review: BlackBerry Storm

 
Comprei meu BlackBerry Bold no final de 2008, alguns meses antes do Storm ser lançado. Desde que o Storm foi lançado eu estava muito curioso para testa-lo, principalmente por causa do teclado na tela. A minha dúvida era: Será que um usuário que digita rápido como eu no teclado do BlackBerry vai se acostumar a usar um teclado na tela...
Finalmente em dezembro último eu coloquei as mãos pela primeira vez em um Storm... e aliás não larguei mais... (meu Bold está aqui em uma gaveta, mas não adianta alvoroço: ele já tem um novo dono !). 
A primeira coisa que me impressionou no Storm, foi a extrema simplicidade da sua interface gráfica, que aliado á tela sensível ao toque com resposta tátil (já explico o que é isso), torna a utilização do smartphone muito confortável e intuitiva, inclusive por usuários que não estão acostumados "com tanta tecnologia" (esta foi a frase que mais ouvi de pessoas que me pediam prá mexer um pouco no Storm).
A tela do Storm é na verdade um imenso botão e por isso, quando você aperta a tela dele (para clicar em alguma coisa) ela literalmente se mexe e você sente que está apertando mesmo alguma coisa. Isso pode parecer bobagem, mas a sensação de que você realmente "está apertando um botão" traz um conforto e uma segurança enormes na utilização do Storm no dia a dia.
Falando da tela, eu acho que ela é perfeita, tanto no tamanho (o dobro do Bold) quanto na qualidade da exibição e iluminação (o dimmer automático do BlackBerry é ótimo e o Bold já tinha isso).
A tela do Storm torna extremamente confortável a leitura de texto em geral e quando se alia isso a sensibilidade ao toque, temos um brinquedinho extremamente útil e intuitivo nas mãos (você pode rolar a página, navegar entre e-mails, dar zoom e selecionar texto de forma muito simplificada e intuitiva com toques na tela).
A coisa que mais me preocupava no Storm era o teclado, e fiquei impressionado com a rapidez com que me acostumei a ele. Existem diversos teclados disponíveis, mas tenho usado mesmo o teclado QWERTY completo. Ao contrário do meu Bold, que era utilizado em formato "retrato" (em pé) o tempo todo, faço quase tudo no Storm com ele em formato "paisagem" (de lado) e o teclado neste jeito é muito mais fácil para utilizar. O truque principal para se adaptar com rapidez ao teclado é traçar uma linha imaginária vertical no meio dele (entre as letras T e Y) e seguir a seguinte regra: Digitar no lado esquerdo com o polegar esquerdo e no lado direito com o polegar direito (sei que isso parece óbvio demais para que eu escreva aqui, mas ainda cometo alguns erros de digitação quando esqueço esta regrinha básica). Não digito nele tão rápido quanto digitava no teclado do Bold, mas é bem próximo (e a tela grande do Storm não me deixa com saudade alguma do tecladinho do Bold).
O teclado do Storm pode ainda ser apresentado ou ocultado em praticamente qualquer tela através do menu, ele aparece automaticamente na tela cada vez que o cursor chega em um campo de texto, mas gosto mesmo é de oculta-lo escorregando o dedo na tela, do meio para baixo, como se fosse um passe de mágica (tá bom, Nerd se diverte com pouco, heim ?).
Respondendo a dúvida que eu mesmo tinha: O teclado do Storm é extremamente funcional e fácil de se adaptar. Se você pensa nisso (como eu pensava) para trocar seu BlackBerry antigo por um Storm, pode sair correndo para a loja !
O Storm é um smartphone que possui todas as coisas boas de um BlackBerry, complementado por diversas funcões multimídia muito interessantes, como uma câmera de 3.2 Mpixels com foco automático, expansão de até 32GB via cartão microSD e uma qualidade de som muito boa... meu iPod tá correndo risco de ser aposentado tb :) (no dia a dia, já foi)
A câmera do Storm me impressionou pela qualidade. Os 3.2 Mpixels aliados ao foco automático possibilita fotos com qualidade muito boa, com ou sem iluminação natural (isso sempre foi um problema em todos os smartphones que testei e tive até hoje). Para quem quiser comprovar, as últimas fotos que postei no http://flickr.com/homembit foram tiradas com ele (e existem fotos tiradas á noite e outras com iluminação natural).
O que ainda notei sobre a câmera é que ela demora um pouco para tirar a foto, mas nada que você não se acostume depois de alguns cliques (e prefiro esperar e acertar a foto na primeira, do que ter velocidade e sair com um estoque de fotos tremidas e sem foco adequado depois).
Tal como o Bold, a conexão para fones de ouvido do Storm utiliza um conector padrão e por isso, você pode usar qualquer fone de ouvido com ele, mas o fone que acompanha o Storm tem excelente qualidade (e tem ainda o microfone e um botão para atender chamadas).
Os botões laterais do Storm são configuráveis (como de outros BlackBerries), e os botões de aumento e redução de volume têm função dupla quando o media player está em execução, facilitando a troca de faixas com o Storm no bolso durante uma atividade física.
O Storm é um pouco mais pesado do que o Bold, mas estranhamente fica muito melhor no bolso do que ele (talvez por ser um pouco menor).
A bateria do Storm me impressionou pela duração e mesmo usando o cara feito maluco eu ainda não consegui zerar uma carga inteira em um dia... e quando eu falo usando, é usando mesmo (cheguei a ficar mais de 4 dias sem ligar meu note durante as últimas semanas, fazendo tudo no Storm: twitter, RSS, navegação, e-mails e mensageiros instantâneos da vida).
Fiz alguns testes com o GPS do Storm e ele fucionou muito bem, mas não me aprofundei demais nos testes. Sei que existem aplicações (como o Nav4all) que permitem a navegação pelas ruas nele, mas como tenho um GPS baratinho no meu carro, não me atrai muito a idéia de deixar meu Storm pendurado no painel enquanto ando por aí (mas já existe suporte para isso, caso alguém se anime). Não preciso dizer que usar o Google Maps com uma tela sensível ao toque torna a coisa muito mais divertida, não é ?
A única coisa que o Storm não tem e que acho que vou sentir falta quando estiver fora do Brasil é Wi-fi (na verdade já senti falta aqui também, pois a rede de dados da Claro anda oscilando muito e em grande parte do tempo tenho ficado conectado via EDGE, o chega a ser uma piada, mas para o tráfego diário de textos até que funciona bem). O Storm 2 já foi lançado fora do Brasil mas ainda não temos data de lançamento dele por aqui...
Outra coisa que já foi lançada lá fora, mas que ainda não sabemos quando chega ao Brasil é o Sistema Operacional versão 5.0 do Storm (o mesmo comentário vale para o Bold). Ele traz diversas inovações e melhorias significativas para o smartphone, mas as operadoras brasileiras, como sempre, estão sempre comendo bola neste departamento: elas praticamente só liberam atualizações oficiais de SO para smartphones quando aparece algum problema sério que precisa ser corrigido e que lhes traga muitas reclamações... é esperar para ver.
Quando escrevi o review para o BlackBerry Bold, deixei uma lista de aplicações como recomendadas e gostaria de atualiza-la agora para o Storm:
- BlackBerry AppWord
- Nimbuzz (GTalk, Jabber, MSN, Skype e muitos outros em um cara só)
- UberTwitter
- GoogleSync (parou de funcionar há algumas semanas, mas é muito útil quando funciona... devem corrigir o erro logo)
- Google Maps
- StormSlider
- Facebook
- Viigo
- Opera
- QuickPull (para resetar o Storm sem ter que tirar a bateria)
- Pixelated (jogo simples e viciante)
Na categoria exotéricos, já tive instalado um simulador de sabre de luz (coisa que só Jedi entende), um nível (sim... aquela boa e velha ferramenta com uma bolha de ar) e um jogo de labirinto igual aqueles que vinham nos doces ventidos nos anos 80 (acelerômetro rulez !).
Resumo da Ópera: O BlackBerry Storm é o "brinquedo eletrônico" mais legal que já tive (acho que chama-lo de celular ou smartphone é pouco). Recomendo a todos que estão pensando em trocar seu bom e velho tijolão que dêem uma olhada neste cara na loja mais próxima...
Se eu fosse da RIM, usaria como slogan para o Storm: "É BlackBerry, mas não é de tiozão !" ou ainda "É um iPhone prá gente grande" (viram agora porque não fui trabalhar com marketing... sou péssimo !).
Para quem quiser mais dicas para não errar tanto na escolha do seu primeiro smartphone, eu escrevi um artigo que deve ser publicado nos próximos dias na edição n. 10 da Revista Espírito Livre (http://www.revista.espiritolivre.org/) que é gratuita e uma excelente referência em Software Livre.
Aguardo perguntas nos comentários !
Reações:

0 comentários: