segunda-feira, 28 de março de 2016

4G no Brasil

4G: Frequências e licitações








O padrão LTE é o padrão de 4G predominante no Brasil sendo adotado por todas as operadoras.

Frequências de 700 MHz no Brasil


Em setembro de 2014 a Anatel licitou a faixa de frequência de 700 MHz para a implantação de 4G, que será liberada com o fim da transição da TV Aberta analógica para a TV aberta digital. (Mais detalhes)




A faixa de frequência entre 698-806 MHz foi distribuída baseada no plano de banda da APT que permite uso de 90 MHz (45 + 45 MHz) de espectro.(mais detalhes)

A Tabela a seguir apresenta a distribuição da faixa de 700 MHz destinada para a banda larga móvel 4G no Brasil .


Transmissão da Blocos (MHz) Operadoras/Area
Estação Móvel (MHz) ERB (MHz)
708-718 763-773 10+10 Algar/Setores do PGO (3, 22, 25 e 33);
Restante do Brasil Vago.
718-728 773-783 10+10 TIM/Brasil
728-738 783-793 10+10 Vivo/Brasil
738-748 793-803 10+10 Claro/Brasil


Frequências de 2,5 GHz no Brasil

Inicialmente a Anatel destinou para a implantação de redes 4G (Res. 544 de 11/08/2010) a faixa de frequências de 2.500 MHz a 2.690 MHz anteriormente destinada ao MMDS.

Em 2012 a Anatel realizou uma licitação de frequências em 2500 MHz. As empresas que adquiriram estas frequências foram: Vivo, Tim, Claro, Oi, Sky e Sunrise (mais detalhes).





A Tabela a seguir apresenta as bandas utilizadas pelas operadoras de celular no Brasil nas 10 áreas definidas pelo SMC . (Definição das bandas)


Frequencia (MHz) 2500
Área W X V1 V2
Brasil Claro Vivo TIM Oi


Frequencia (MHz) 2500
DDDs P
11, 43, 51, 53, 71, 81, 88, 94, 95, 96. Oi
12, 15, 16, 19, 32, 34, 43, 47, 75, 79, 82, 83, 84, 85, 86, 98. Claro
21, 31, 41, 61, 91, 92. TIM


Nota: SP Interior exclui Franca (1), MG exclui Uberlândia (2), PR/SC exclui Londrina (3), Rio G. do Sul exclui Pelotas (4) e C. Oeste exclui (5)

As faixas de frequências entre 2.500-2.570 MHz e 2.620-2.690 MHz (P, W, V e X) foram destinadas para operação FDD (canais separados para transmissão e recepção que está entre 2.570 e 2.620 MHz. Já as sub-faixas T e U para operação TDD (transmissão e recepção no mesmo canal).

O regulamento do edital de licitação destas faixas estabeleceu um valor máximo de espectro que uma operadora poderia possuir em uma região geográfica (Cap): 60 MHz (2.500-2.570 MHz e 2.620-2.690 MHz) ou 50 Mhz (2.570 e 2.620 MHz).

As operadoras de MMDS possuem parte deste espectro. Entre elas está a Telefônica, que adquiriu as operações da Abril e a Sky que em 2011 passou a oferecer LTE (TDD) em Brasília.

fonte: http://www.teleco.com.br/4g_freq.asp
Reações:

0 comentários: