quinta-feira, 26 de novembro de 2009

E-mail sem certificado digital é um cartão postal escrito à lápis


Nos últimos dias, chegou a sua caixa de correio eletrônico um e-mail com um link para o pronunciamento de Barack Obama sobre sua desistência ao cargo de presidente dos Estados Unidos? Recebeu um link que promete cenas de sexo explícito com os participantes do BBB? E aquela notificação da Receita Federal dizendo que você caiu na malha fina? Talvez, o comunicado do seu banco falando sobre uma atualização no módulo de segurança de acesso ao Internet Banking? Ou um link para você colaborar com as vítimas das enchentes de Santa Catarina?
Seja qual for o seu caso, fato é que o número de spams no mundo ultrapassou a marca de 200 bilhões de mensagens diárias em 2008, aproximadamente 90% de todos os e-mails que circulam pela web. Com a crise financeira deflagrada no final do ano passado, a MessageLabs registrou em um único dia nos Estados Unidos, 16 de outubro para ser mais exato, nada menos do que 7 mil ataques explorando o nome Bank of America.
Por aqui, a coisa vai de mal a pior. Segundo relatórios recentes, somos o segundo país que mais recebe spams do mundo e o quarto maior emissor. Mas mesmo diante de dados tão preocupantes, o e-mail continua sendo tratado como um cartão postal escrito à lápis, ou seja, passível de todo e qualquer tipo de adulteração.
Parte integrante da nossa vida, ainda mais com a proliferação das contas gratuitas, o e-mail, para a maioria das pessoas, é um instrumento frágil, desprotegido e vulnerável. Curiosamente, mesmo aqueles que desconfiam da segurança de sites de comércio eletrônico e Internet Bankings, não dão a mínima para os dados que escrevem em suas mensagens eletrônicas.
Você precisa saber sua senha para checar suas mensagens pelo programa de correio eletrônico ou pelo webmail. Só que não precisa de senha para enviar mensagens. Ninguém precisa.  Aquele nome que aparece como “remetente” (sender) é criado de acordo com o gosto do freguês. É possível escrever qualquer coisa ali. Se quiser, pode alterar sua configuração de e-mail, colocar a mesma do seu chefe e enviá-la para todo mundo dizendo que amanhã o expediente se encerra na hora do almoço. Claro que é apenas um exemplo hipotético e irônico, mas você acha que algum colega de trabalho seu duvidaria se recebesse?
A bem da verdade, qualquer pessoa pode usar uma conta de e–mail aleatória, escrever o nome do remetente que bem entender e enviar quantas mensagens quiser. Isso pode ser feito em três minutos e não exige o mínimo conhecimento técnico. Além das fraudes, outros problemas são os vírus (que chegam através dos mais diverso tipos de arquivos), os roubos de dados (conhecidos como phishing scam, que literalmente pescam os dados das vítimas quando elas acessam um determinado link) e embustes (conhecidos como hoax, que consistem basicamente em disseminar uma informação falsa pela web).
Como se pode ver, nos dias de hoje, é imprescindível possuir um sistema de proteção para o e-mail e a certificação digital é maneira mais eficiente de garantir a autenticidade e inviolabilidade das mensagens que você emite, bem como a segurança em relação ao conteúdo das mensagens que você recebe. As soluções e-Mail Seguro Pessoal e e-Mail Seguro Corporativo, desenvolvidas pela Certisign, permitem que as mensagens eletrônicas passem a ser assinadas digitalmente. Por meio destas soluções, é possível, portanto, identificar o autor das mensagens de correio eletrônico, bem como proteger a integridade dos dados das mensagens.

fonte: http://www.certisign.com.br/certinews/fraudes-e-ataques-eletronicos-ameacam-oportunidades-criadas-com-as-solucoes-tecnologicas/e-mail-sem-certificado-digital-e-um-cartao-postal-escrito-a-lapis
Reações:

0 comentários: