domingo, 1 de fevereiro de 2009

30 segundos para iniciar um computador? São 29 segundos além da conta


RANDALL STROSS ENSAIO
Os fabricantes de computadores anunciam laptops que ligam mais rápido que nunca, mas prudentemente evitam comparações diretas com os smartphones.
Os fabricantes aceleraram o tempo de “boot” ao equipar algumas máquinas Windows com um subsistema separado, que contém sua própria unidade central de processamento (CPU). Se você escolher usá-lo ao ligar a máquina, o Windows é contornado e um minissistema operacional é carregado em seu lugar, juntamente com um conjunto limitado de aplicações que inclui um navegador da web.
Mas essas máquinas demoram demais para alcançar um estado de utilização. Atualmente, a única maneira de trazer um laptop à vida rapidamente é chamá-lo não de um estado frio, nem da hibernação profunda (suspenso no disco), mas do modo “standby” (suspenso na memória RAM), em que a última sessão fica armazenada na memória. Mas as conexões de rede se perdem, e manter os dados na memória esgota a bateria.
Um fabricante cujos notebooks ultraleves ajudaram a criar a categoria é a Asus, de Taiwan. A Asus equipa suas máquinas com Express Gate, um subsistema que segundo ela pode se ligar em apenas oito segundos.
Uma abordagem diferente é a de Arjan van de Ven e Auke Kok, engenheiros do Centro de Tecnologia de Fonte Aberta da Intel, que decidiram criar versões de Linux que ligam em cinco segundos em vez dos 45 normais.
Eles também queriam dar “boot” com o sistema principal, sem depender de um subsistema como o Express Gate. E conseguiram, demonstrando seu feito na Conferência Linux Plumbers, em setembro, com um Asus Eee PC 901 equipado com um drive de estado sólido, que ajuda, mas uma CPU Atom lenta, que não ajuda.
Depois, Van de Ven usou as mesmas técnicas para reduzir o tempo de “boot” para apenas três segundos em laptops com CPUs Core 2 Duo, muito mais rápidas. O tempo necessário para se conectar à rede e carregar o browser, porém, não foi incluído.
O dispositivo Latitude On da Dell ainda leva de 40 a 50 segundos para carregar seu subsistema especial não-Windows. Mas quando ele liga pode ficar indefinidamente com uma tela preta, porque seu processador de baixa voltagem conserva a energia da bateria entre as cargas. Com um toque, a tela acende em um ou dois segundos, como um smartphone. O Latitude On será incluído como dispositivo padrão de um notebook completo; esses modelos custam a partir de US$ 1.999 nos EUA.
A próxima geração de máquinas de ligação instantânea deverá funcionar sem problemas durante dias com uma única carga e por preço baixo. Mas, se demorar um pouco, tudo bem. Eu sou paciente.
Reações:

0 comentários: